terça-feira, 22 de outubro de 2013

Surgimento do Fascismo e do Nazismo


O período do entre - guerras (1919-1939) foi a época do descrédito e da crise da sociedade liberal. Essa sociedade, agora desacreditada, foi forjada no século XIX, com a afirmação de que o capitalismo como sistema econômico era "perfeito". As nações imperialistas européias tinham a hegemonia do mundo e, por isso, a ótica de encarar o futuro de forma entusiástica e otimista.Após a guerra a euforia e otimismo foram substituídos por um pessimismo que beirava o descontrole. Esse pessimismo era sentido entre os intelectuais de classe média, e se manifestou principalmente no antiplarlamentarismo, no irracionalismo, no nacionalismo agressivo e na proposta de soluções violentas e ditatoriais para solucionar os problemas oriundos da crise. Portanto com tais características o cenário tornou-se propício para o surgimento dos ideais nazifascistas. ......................................................................







A charge reproduz o contexto da época: "Alguém sabe qual é a saída para a Crise de 29?" "Eu, eu sei senhor!!"
A Charge acima demonstra de forma lúdica o cenário do continente europeu. A figura que responde a pergunta dizendo saber qual era o caminho para sair da crise mudaria drasticamente a História Contemporânea.  Neste ambiente de incertezas, após a crise de 1929, o futuro das nações era tenebroso. Os questionamentos sobre quais atitudes tomar para apaziguar a apatia geral não encontravam respostas confiáveis dos governos de cunho democráticos. Nesta falta de respostas das democracias em passar confiança de melhores dias surge a oportunidade que as doutrinas autoritárias precisavam para ter voz. Nazismo e Fascismo constituíram-se uma forma de governo autoritária, cujo auge deu-se na década de 1920-30 e que pretendia ter rígido controle da vida nacional e dos indivíduos de acordo com ideais nacionalistas e mais freqüentemente militaristas.


Caracterizando
Portanto autoritarismo, nacionalismo e militarismo constituiam características peculiares dos regimes totalitários. Além destas características acrescente o culto ao líder. Os interesses opostos seriam resolvidos mediante total subordinação do cidadão ao Estado, exigindo-se uma lealdade incondicional ao líder no poder. O Nazifascismo baseia suas idéias e formas num conservadorismo extremado, constituindo-se uma ditadura capitalista de extrema-direita, produto da crise pós-I Guerra Mundial, da crise do liberalismo e do crescimento do comunismo. Em outras palavras, o nazifascismo foi a resposta da burguesia para a grave crise que atingia o capitalismo no início do século XX. Assim, não se pode “personalizar” tais regimes: se Hitler e Mussolini não tivessem implantado suas ditaduras, outros o fariam, pois era uma exigência do grande capital.


Nazismo e Fascismo. Farinha do mesmo saco!
Nazismo e Fascismo foram, em princípio, o mesmo fenômeno. Suas diferenças se devem, conforme veremos adiante, às particularidades históricas de cada país. O Nazismo surgido na Alemanha foi apenas uma forma mais desenvolvida de Fascismo, que se originou na Itália. A palavra Fascismo originando-se do termo latino “fasces”, nome dado a um feixe de varas amarrado a um machado, que simbolizava a autoridade à época do Império Romano. Mussolini se apropriou da palavra e deu o nome de Fascismo ao Estado forte que pretendia criar. A partir daí, o termo passou a designar uma série de estados e movimentos totalitários no período entre a I e a II Guerra Mundial (1939-45), e cujo exemplo mais extremado foi o Nazismo alemão.

A Alemanha após a Crise de 1929 - Um terreno fértil para as idéias do Nazismo.
Vejamos primeiro a situação que se encontrava a Alemanha. A assinatura do tratado de Versalhes no final da Primeira Guerra Mundial deixou a Alemanha humilhada e despojada de suas possessões. Perdeu seus territórios coloniais e, na Europa, a Alsácia-Lorena e a Prússia Oriental. Os países vencedores limitaram o tamanho do Exército e da Marinha alemães, e o país foi obrigado a pagar pesadas indenizações de guerra que logo provocaram o colapso da economia e causaram desemprego em massa. A situação tornou-se catastrófica após a crise do capitalismo - A crise de 1929.
Assim, foi numa Alemanha envenenada pelo descontentamento que Adolf Hitler ergueu a voz pela primeira vez. Apelando para a convicção do povo alemão, brutalmente oprimidos pelos vencedores da guerra, logo conseguiu uma larga audiência. Falava de grandeza nacional (nacionalismo) e da superioridade racial nórdica (raça superior), denunciava judeus (segregacionismo) e comunistas como aqueles que haviam apunhalado a Alemanha pelas costas e levado o país à derrota. Hitler tentou um fracassado golpe denominado de "putsh" que resultou na sua prisão. Encarcerado elaborou o programa que continha a ideologia central do nazismo descrito na obra "Mein Kempf" (Minha Luta).  Através do programa intensivo de propaganda criou o Partido Nacional-Socialista (Partido Nazista) com ascensão meteórica já que 1932 tinha 230 lugares no Parlamento alemão e cerca de 13 milhões de adeptos.
Mas como explicar o crescimento exponencial de um partido "nanico"?  O crescimento do nazifascismo só pode ser explicado a partir do medo dos capitalistas face ao crescimento do socialismo soviético (o perigo vermelho) e o aumento da luta de classes nos países europeus. Pela lógica dos capitalistas era preferível viabilizar uma ditadura de extrema direita que combatia as idéias do socialismo do que perderem todo seu "capital" para as idéias de Karl Marx. Portanto foi desta forma que um pintor medíocre e cabo da Primeira Grande Guerra ganhou espaço e bem acorbertado pessoas poderosas chegou ao posto de ditador pela via diplomática. Os grandes grupos empresariais alemães e bancos dos EUA financiaram ativamente o partido nazista a exemplo da Siemens, Thyssen, Basf, Bayer entre outros.
Depois da morte do Presidente Hindenburg, em 1934, o poder de Hitler tornou-se absoluto. No verão deste mesmo ano, eliminou implacavelmente os rivais e, desprezando a regra de lei, estabeleceu um regime totalitário.
"Exigimos terras para alimentar o nosso povo e nelas instalar nossa população excedente". Este brado do programa do Partido Nacional Socialista (NAZI), começa a ser posto em prática. A preocupação primária de Hitler durante esse período foi com a necessidade alemã de Lebensraum, expressão alemã que significa espaço vital, um dos itens principais do programa do partido nazista. Para transpor a condição de nação de segunda categoria para principal potência mundial, era primordial espaço para expandir-se, e se precisava comportar uma população em rápido crescimento exigindo prosperidade, necessitava de terras para cultivo e matérias-primas para energia e indústria. Foram com estas justificativas que Hitler e o nazismo cooptaram milhões de seguidores a sua causa esquizofrênica.

O engodo de Mussolini - a Fachada para o Fascismo
Na Itália o Fascismo também encontrou um ambiente favorável. Regime político de caráter autoritário do período entre-guerras (1919-1939). Originalmente é empregado para denominar o regime político implantado pelo italiano Benito Mussolini. Suas principais características são o militarismo, o totalitarismo, que subordina os interesses do indivíduo ao Estado; o nacionalismo, que tem a nação como forma suprema de desenvolvimento; e o corporativismo, em que os sindicatos patronais e trabalhistas são os mediadores das relações entre o capital e o trabalho.

As ditaduras eram comuns na época - A democracia havia falhado.
Na Espanha com Francisco Franco e em Portugal com Salazar configuram como outros exemplos da proliferação dos estados totalitários na Europa. Porem esta onda de desconfiança nas democracias liberais alastra-se através do Oceano Atlântico e vem aportar no Brasil. A ditadura de Vargas imposta pelo Estado Novo configura esta característica do cenário mundial em apontar para o apoio aos regimes ditatoriais, conforme abordamos no período denominado a Era Vargas.

PARA SABER MAIS
Hitler foi o único responsável pelos desdobramentos do Nazismo? 
O processo de fascistização foi comandado e assumido pela própria sociedade alemã?
Regimes de exceção, como o Nazismo, representam anseios da sociedade? 

Entenda as respostas às perguntas acima lendo o artigo A FIGURA ESVAZIADA DE HITLER

24 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muiito bom o seu Aulão de Quinta .

    ResponderExcluir
  3. vcs deveriam por textos menores com todas as informações

    ResponderExcluir
  4. MAS QUANDO COMEÇA A FALAR DO BRASIL O TEXTO TERMINA!!!???????

    ESTE TEXTO É INCOMPLETO

    ResponderExcluir
  5. RIDICULO!
    que coisa mais incompleta
    MUITO MELHOR APRENDER PRIMEIRO
    para depois poder ensinar!

    ResponderExcluir
  6. Olá achei ótimo tudo isso, gostei muito das postagens e achei este blog muito legal. Parabéns!
    Mas uma dica construtiva: seria legal se vcs disponibilizassem ativdades e exercicios.
    Até mais.

    ResponderExcluir
  7. Acredito que este é apenas uma meio de estimular o processo de aprendizagem. não se concentrem apenas no que é apresentado. pesquisem mais a fundo sobre qualquer assunto. é assim que se constroe o conhecimento.

    ResponderExcluir
  8. Grato pela participação e ratifico a opinião acima. Vale salientar que este blog foi elaborado como uma ferramenta de auxílio na construção do entendimento acerca de determinados temas. O aprofundamento deve ser realizado através de muita leitura e pesquisa.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns... Gostei do seu material!!!
    Louvável inciativa.

    ResponderExcluir
  10. Muito bem resumido, e bastante centrado, parabéns! (:

    ResponderExcluir
  11. VAI APRENDER QUE COISA SEM LÓGICA.

    ResponderExcluir
  12. Pudia ter uns exercicios,para testar nosso conhecimento.

    Ass:Eu

    ResponderExcluir
  13. O exercício para testar seus conhecimentos já estava postado!! Verifique! Obrigado

    ResponderExcluir
  14. INTERESSANTE .............

    ResponderExcluir
  15. Eu não entendo qual a dificuldade desse povo de entender que isso é apenas um resumo, para se ter apenas uma noção do que aconteceu...
    Esse povo tem preguiça de ler, e ainda critica que lê e resume o assunto...

    Quero dizer professor que achei excelente seu blog...sem enrolação e direto ao assunto! Muito prático.

    ResponderExcluir
  16. Rosiane, obrigado por sua participação. O seu depoimento foi direto e esclarecedor em relação as propostas deste Blog.

    ResponderExcluir
  17. Professor, estou fazendo o Curso de Serviço Social, e apesar de já ter estudado História no ensino médio, é sempre bom relembrar os acontecimentos, minha professora de Formação Sócio-Histórica do Brasil, nos diz que não seremos historiadores, mas precisamos entender e conceituar os acontecimentos, e seu blog tem me ajudado nesse processo. Obrigada! :))

    ResponderExcluir
  18. é bom o texto só que eu ñ achei o que eu queria

    ResponderExcluir
  19. legal;falta mais informacoes.

    ResponderExcluir
  20. que texto horrivel alem de ser grande d+

    ResponderExcluir