terça-feira, 2 de novembro de 2010

Questões do ENEM

Vamos testar os conhecimentos em relação a História Geral, posteriormente enviarei as questões sobre História do Brasil! As avaliações do Enem serão em 06 e 07 de Novembro, portanto aproveitemos esta semana para aprimorar  nossos conhecimentos.
Boa sorte!!

1- O Período Clássico da civilização grega corresponde ao sec. V a.C., quando Atenas alcançou seu apogeu. Essa fase de esplendor da Grécia antiga pode ser delimitada, respectivamente:
a) pela chegada dos dórios ao território grego e pela primeira diáspora grega;
b) pela formação das primeiras cidades-Estado e pela segunda Diáspora Grega;
c) pelas Guerras Médicas e pelo início da Guerra do Peloponeso;
d) pela Época de Péricles e pela conquista da Grécia por Felipe da Macedônia;
e) pela formação da Liga de Delos e pela morte de Alexandre Magno.

2- Na antiguidade, os romanos estenderam seus domínios por grande parte do mundo conhecido da época, desde a península Ibérica até a Mesopotâmia. Vários fatores contribuíram para dar solidez a esse vasto império. Um fator decisivo foi:
a) o duro tratamento imposto pelos romanos aos povos conquistados, visando submetê-los pelo terror;
b) a romanização dos povos conquistados, ou seja, concedia-lhes cidadania romana;
c) o respeito aos costumes dos povos conquistados, dando origem a um império multicultural;
d) a ação unificadora do Direito Romano, que equiparava os estrangeiros aos cidadãos romanos;
e) a facilidade com que os patrícios absorveram elementos provenientes de outras camadas sociais.

3- A Igreja teve grande influência no sistema feudal que caracterizou a Europa Ocidental durante a maior parte da Idade Média. Coube a essa instituição proporcionar o ordenamento ideológico e social do feudalismo, interferindo até mesmo em assuntos políticos. Assinale a alternativa que retrata a influência política da Igreja no período citado.
a) A supremacia do poder temporal sobre o espiritual, visando a colocar a Igreja sob a proteção do Estado.
b) A criação de ordens religiosas militares, que destinadas a defender a autoridade dos reis.
c) A abertura das bibliotecas monásticas ao público leigo, para difundir o conhecimento da doutrina católica.
d) A criação de ordens mendicantes, cujo exemplo de pobreza acabaria influenciando a alta hierarquia eclesiástica.
e) A imposição da "Trégua de Deus" e da "Paz de Deus", que visavam reduzir a violência dos conflitos da época.

4- Assinale a alternativa que contém nomes de personalidades ligadas somente  ao Renascimento.
a) Erasmo, Thomas Morus e Montesquieu.
b) Maquiavel, Hobbes e Da Vinci.
c) Miguelangelo, Dante e Newton.
d) Tomás de Aquino, Gil Vicente e Shakespeare.
e) Camões, Rafael e Cervantes.

5- A Reforma Protestante foi um importante acontecimento do início da Idade Moderna, com reflexos amplos da vida européia. Uma implicação econômica relevante produzida pela Reforma foi:
a) o esforço de adequar a doutrina cristã ao capitalismo nascente encontrando justificativas para certas práticas inerentes a este sistema;
b) a condenação à usura, cuja prática provocava entraves ao desenvolvimento do capitalismo, devido aos altos juros cobrados pelos prestamistas;
c) a tentativa de restabelecer certos valores ligados ao cristianismo primitivo, destacando-se a renúncia aos bens materiais;
d) a ênfase dada à acumulação de riquezas, independentemente dos métodos empregados em sua aquisição;
e) a retomada do antigo conceito bíblico de que o trabalho era um castigo divino, não devendo, portanto ser entendido como gerador de riqueza.

6- Jean-Jacques Rousseau foi um destacado filósofo iluminista, cujas idéias sobre certos aspectos, conflitavam com as dos demais pensadores de seu tempo. Assinale a alternativa que apresenta uma dessas discordâncias.
a) No plano social, Rousseau defendia os privilégios da aristocracia, enquanto os demais pensadores propunham igualdade dos cidadãos perante a lei.
b) No plano religioso, Rousseau defendia o ateísmo, enquanto os demais pensadores propunham uma religião baseada ao culto à natureza.
c) No plano cultural, Rousseau defendia a limitação do ensino às classes aristocráticas, enquanto os demais pensadores propunham a democratização da educação.
d) No plano político, Rousseau defendia o predomínio da vontade geral, enquanto os demais pensadores eram partidários do governo de uma minoria esclarecida.
e) No plano filosófico, Rousseau defendia o predomínio da fé sobre a razão, enquanto os demais pensadores propunham o inverso.

7- Por volta de 1760, a Inglaterra era o país europeu que reunia as condições mais favoráveis para iniciar a Revolução Industrial. Além dos fatores técnicos (utilização da máquina a vapor e desenvolvimento da metalurgia), o país contava com importantes fatores econômicos, sociais e políticos favoráveis a primazia da industrialização. Esclareça quais eram estes fatores.

8- Quando Lênin implantou a Nova Política Econômica (NEP), em 1921, declarou: "Companheiros nos equivocamos. Será preciso darmos um passo atrás para depois dar dois passos à frente".  Qual motivo levou Lênin a esta atitude?


9- Do ponto de vista ideológico, a época da Primeira Guerra Mundial presenciou o revigoramento de uma série de nacionalismos que serviram de embasamento para justificar as pretensões imperialistas. Os principais foram:


1- revanchismo 2- industrialização 3- comercialismo 4- pan-eslavismo 5- colonialismo

Escolha abaixo a alternativa correta:
a) 1 e 5                      b)2 e 4                    c)3 e 4                       d)1 e 4                            e)4 e 5


10- A abolição do princípio da propriedade privada, estatização dos meios de produção e a assinatura de um acordo de paz com a Alemanha, marcando a saída do país da guerra foram as principais medidas adotadas em qual país, por qual personalidade e em virtude de qual acontecimento?

a) Na Rússia por Stálin, em 1929, devido a implantação da NEP.
b) Na França por Clemanceau, em 1914 devido ao início da Primeira Guerra Mundial.
c) Na Rússia por Lenin, em 1917, devido a Revolução Bolchevique.
d) Nos E.U.A por Roosevelt , em 1929, em virtude da quebra da bolsa de Nova Yorque
e) Na Inglaterra, em 1917, por Winston Churchill em virtude da Revolução Russa.

11- Assinale a alternativa que não corresponde a uma característica dos regimes totalitários de direita (fascistas)?
a) Nacionalismo.
b) Militarismo.
c) Liberalismo.
d) Expansionismo.
e) Anticomunismo.

12-  O período entre as duas guerras mundiais (1919 a 1939) foi caracterizado por:
a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre o fascismo e comunismo.
b) sucesso do capitalismo,do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre o fascismo e o comunismo.
c) estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os EUA e a União Soviética para deter o avanço fascista na Europa.
d) prosperidade das economias socialista e capitalista e aparecimento da Guerra Fria entre EUA e União Soviética.
e) coexistência pacífica entre os blocos capitalista e socialista e surgimento do capitalismo monopolista.


13- Segundo muitos historiadores a ascensão do nazismo deve-se em parte a política de apaziguamento adotada por Inglaterra e França que assistiam passivamente as peripecias de Hitler pelo continente europeu. A onda de agitações varriam o continente. Sabendo que muitos tinham  a perder com a agitação do barco e outros tinham a ganhar se agitassem ainda mais, ingleses e franceses não fizeram nada de prático para deter o avanço nazista. Qual das afirmações abaixo justifica a atitude de Inglaterra e França diante do crescimento do Nazismo?
a) A nazismo seria um importante anteparo para o avanço do socialismo, portanto justificava não impedir as ações de Hitler que de certa forma preservariam os interesses dos grandes grupos capitalistas em relação ao "perigo vermelho".
b) Ingleses e franceses tinham receio de descontentar Hitler e serem atacados pelo bem aparelhado exército nazista.
c) O nazismo fortalecido por seu programa nuclear deveria  intimidar a União Soviética a rever sua expansão territorial.
d) Evitar a todo custo o ataque dos soviéticos a Polônia, portanto valia a pena não intimdar com retaliações os nazistas.
e) Hitler secretamente efetuou um acordo de não agressão com a Inglaterra e França que lhe deu carta branca para impedir o avanço do comunismo na Europa.

14- (PF-2001) “O fim da Guerra Fria revolucionou a agenda do debate acerca das relações internacionais. No começo, ainda não se falava a respeito do império americano, mas, logo depois da euforia inicial — sintetizada pela idéia do “fim da História” —, estabeleceu-se uma polêmica com relação ao futuro do sistema político e econômico mundial, que percorreu toda a década de 90 do século passado.”  José Luís Fiori-60 lições dos 90 – uma década de neoliberalismo. Rio de Janeiro: Record, 2001, p. 118 (com adaptações).

A partir do texto acima, julgue os itens corretos abaixo, referentes ao cenário internacional contemporâneo.

1- A Guerra Fria a que se refere o autor corresponde ao sistema bipolar de poder mundial que, logo após a Segunda Guerra, contrapôs os interesses soviéticos e norte-americanos, identificados nos sistemas socialista e capitalista,respectivamente.

2- O citado “fim da Guerra Fria” decorreu da falência da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e, em uma espécie de efeito dominó, da desintegração das chamadas Repúblicas Socialistas do Leste europeu.

3- A expressão “fim da História” sintetiza a idéia de ter acabado a disputa entre as principais ideologias.

4- O incontrastável poderio militar norte-americano, após a Guerra do Golfo contra Saddam Hussein, reflete a posição ocupada pelos Estados Unidos da América (EUA) no cenário mundial posterior à Guerra Fria.

5- O fracasso da URSS fez-se acompanhar pelo declínio da China, cuja tentativa de modernizar a sua economia sucumbiu ante a intransigência dos militares comunistas, o seu reduzido mercado interno e a incapacidade de ampliar a produção.

Após avaliar as afirmações acima assinale a seqüência correta.
a)VFVVF                         b)VFVFV                         c)VFFFF                          d)FVFVF                           e)VVVVF

 
15- "Para obter a liberdade de nosso país, estamos dispostos a derramar nosso sangue não o vosso". Essa frase, de Mahatma Gandhi, foi dirigida aos ingleses e reflete a peculiaridade da luta desse líder pela independência da Índia. Assinale a alternativa que contém princípios defendidos por Gandhi em sua campanha nacionalista.


a) Religiosidade e transcendentalismo.
b) Ação sindical e greves pacíficas.
c) Desobediência civil e resistência passiva.
d) Tolerância e submissão.
e) Individualismo e pressão moral.

16- Com o fim da Guerra Fria devido a derrocada do regime socialista na URSS, simbolicamente representado pelo derrubada do muro de Berlim, acarretou um novo equilíbrio e o ordenamento das relações internacionais, que caracteriza-se por um(a):
a) Enfraquecimento dos movimentos nacionalistas regionais e das tendências de globalização da Europa ocidental.
b) Declínio da liderança política internacional das superpotências em virtude da transferência do controle de seus arsenais nucleares para a ONU.
c) Revitalização das alianças militares estratégico-defensivas, conforme pactos políticos da Europa central e do leste.
d) Formação de megablocos políticos-econômicos que favoreceram a internacionalização dos fluxos de capitais, tais como a União Européia e do Nafta.
e) Decadência econômica dos paises da bacia do Pacífico que haviam mantido uma posição de neutralidade durante a Guerra Fria, tais como Malásia e Singapura.
     




Respostas:
1-C  (A história do período clássico começa com as Guerras Médicas e a guerra do Peloponeso o apogeu ateniense é durante o época de Perícles portanto os conflitos estão inseridos neste período.)
2-B (Esta cidadania era construida em etapas e foi uma forma de apaziguar as revoltas dos povos conquistados)
3-E (Duas maneiras de reduzir os atritos e manter a ordem pública utilizando o nome de Deus)
4-E
5-A (Os reformistas ao justificar a usura e o lucro como permitidos por Deus, o trabalho e poupança como formas de alcançar a salvação compatibilizou os interesses capitalistas com o da nova doutrina e a simpatia da burguesia)
6-D ( Na obra Contrato Social defendia a idéia que o Estado representava  a vontade geral isto é o desejo da maioria.
7- Fatores econômicos: grande acumulação primitiva de capital, importantes jazidas de carvão e de ferro, abundância de matéria-prima e hegemônia marítima assegurava a Inglaterra o domínio das rotas oceânicas.  Fator social: ampla disponibilidade de mão de obra barata, resultante do êxodo rural . Fator político: participação da burguesia em asuntos do governo, realizado por intermédio da câmara dos comuns.
8- Com a NEP, Lênin esperava superar os desastrosos resultados da política do comunismo de guerra que pretendia consolidar a teoria socialista na prática, pois conforme afirmou "não avaliamos adequadamente a teoria que a adoção do socialismo deveria funcionar se aplicadas em um sistema puro sem interferências o que não era o caso da Rússia". Portanto estaria dando um passo atrás com a adoção temporária de algumas práticas capitalistas para posteriormente dar dois passos a frente consolidando o socialismo.
9-D
10-C
11-C ( O totalitariasmo por definição inviabilizaria a prática do liberalismo seja político ou econômico)
12-A
13-A   
14-E
15-C (Diferentemente dos outros lideres da descolonização da Ásia e África que preferiram a luta armada Ghandi adotou o caminho da não violência para libertar a Índia do domínio inglês)
16-D (A globalização da economia representou a supremacia do capitalismo sobre o socialismo e portanto alguns procedimentos foram tomados no sentido de difundir e fortalecer as bases capitalistas)  
     
 

sábado, 30 de outubro de 2010

O KURSK E A GUERRA FRIA

A tragédia com o submarino nuclear russo envolve alguns aspectos de política internacional que remonta ao período da "Guerra Fria", que marcou as relações entre as duas superpotências desde a Segunda Guerra até o início dos ans 90.

Introdução
O “Kursk”, submarino nuclear russo, afundou no dia 12 de agosto no Mar de Barents, no Círculo Polar Ártico, representando uma grande tragédia, que repercutiu em todo o mundo e é acompanhada com apreensão. Duas foram as primeiras preocupações: o que teria causado o naufrágio e quais as possibilidades de sobrevivência dos tripulantes, e uma esta diretamente relacionada à outra, pois as principais críticas às autoridades russas devem-se a demora na aceitação de ajuda estrangeira, quer dizer, ajuda ocidental, dos países que compõem a OTAN, que são os países que teriam capacidade para uma operação de tal envergadura.
A demora ocorreu devido ao temor de que os militares da OTAN servissem de espiões para os governos ocidentais, interessados em conhecer melhor a tecnologia empregada pelos russos, como nos tempos da “Guerra Fria”.

O “Medo” dos Russos.
Em artigo publicado pelo Jornal Los Angeles Times, oficiais norte americanos e russos deixam claro que, a pesar de “terminada a guerra fria” a espionagem ainda se mantêm, principalmente por parte dos EUA e de seus aliados da OTAN, uma vez que o poderio russo esta muito longe do que fora a antiga União Soviética. Cada vez que submarinos russos saem para manobras militares são seguidos pelos norte-americanos, criando uma real possibilidade de acidente. Segundo o mesmo jornal, submarinos russos e americanos chocaram-se duas vezes no início da década de 90, em acidentes de pequenas proporções e sem vítimas, mas que demonstram o grau de desconfiança ainda existente entre as partes.

A Gurra Fria. 
O termo “Guerra Fria” passou a ser utilizado após a Segunda Guerra Mundial, quando o choque militar, o confronto aberto entre as nações, cessou, e estabeleceu-se uma nova correlação de forças no cenário internacional, tendo como protagonistas principais os Estados Unidos e a União Soviética. Para muitos a Guerra Fria tornou-se então um conflito ideológico, opondo o mundo capitalista ao mundo socialista; e nesse sentido os EUA tornaram-se os grandes representantes do capitalismo, enquanto os soviéticos por sua vez tornaram-se os representantes do socialismo. Essa visão superficial tornou-se predominante, pois verdade passou a interessar a ambos.
Para os EUA era importante ser visto como o representante do capitalismo, como o guardião da liberdade, como o país que pode conter o avanço soviético e que deve, portanto, liderar um grande bloco de países integrados à sua política, conseqüentemente subordinados à sua economia; um bloco formado por países derrotados na guerra como Alemanha Ocidental, Itália e Japão e, portanto sem condições de se oporem naquele momento a tal política, países vitoriosos na guerra, porém arrasados economicamente e os países da América Latina e parte da África de economia dependente mesmo antes da Guerra. Para a URSS a visão de um conflito de blocos também se tornou conveniente, na medida em que ele era a única nação que tinha condições de se opor ao potencial estadosunidense e havia saído da Segunda Guerra como a principal vitoriosa. O modelo soviético, apesar de ter sido imposto ao leste europeu (aliás, com a concordância dos ocidentais) era atraente para várias nações, em particular àquelas que foram colônias das potências ocidentais.
No entanto existem outras possibilidades para compreendermos a Guerra Fria. O que foi visto desde o final da Segunda Guerra foi uma verdadeira disputa imperialista entre duas potências militares, que possuíam modelos sócios econômicos diferenciados, que, porém desenvolveram uma política semelhante em relação aos demais países, caracterizada, utilizando-se da pressão político ideológica como instrumento de poder.

Tanto os EUA como a URSS adotaram uma política imperialista.
O poder desses dois países, assim como suas intenções já podiam ser percebidas antes do final da guerra; em fevereiro de 1945 na foto abaixo Churchill (Inglaterra), Roosevelt (EUA) Stálin (URSS) e reuniram-se na Conferência de Ialta, na Criméia, para acertar os detalhes finais da grande ofensiva sobre a Alemanha, ficando acertado que a URSS teria o direito de ocupar os territórios do “Leste Europeu”, que se tornava então sua zona de influência.
Entre 17 de julho e 2 de agosto, já derrotado os alemães, realizou-se a Conferência de Potsdan, com a participação de Stálin, Churchill e Trumam, novo presidente dos EUA, onde foram tomadas as principais decisões impostas à Alemanha, inclusive com a divisão de seu território em 4 zonas de ocupação a serem administradas pela URSS, EUA, Inglaterra e França, divisão essa que também foi realizada em relação à Berlim.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Exercícios sobre A Guerra Fria


1. (UFPE) Em 24 de outubro de 2009, chefes de Estado, reunidos em Nova Yorque, comemoraram o 6
 aniversário da Organização das Nações Unidas - ONU. O que representa essa organização?



 a) Uma associação dos países do Ocidente para o enfrentamento com os países do Oriente.
 b) A vitória da Liga das Nações, vigente durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.
 c) O fim da Guerra Fria entre o mundo capitalista e o mundo comunista.
 d) A descolonização da América e da África e o respectivo engajamento político dos dois continentes.
 e) Uma força internacional acima das nações, na defesa da paz mundial, dos direitos do homem e da igualdade povos.



2 - (UFMGB) No período de 1948 e 1952, mudanças na conjuntura internacional obrigaram os EUA a alterar sua política em relação ao Japão. Essa alteração ocasionou o fim da intervenção americana naquele país, adotando medidas para o Japão torna-se um aliado dos EUA na Ásia. Entre estes medidas estão os pesados investimentos em infra-estrutura e modernização do Japão. 
Assinale a alternativa que apresenta fatores que motivaram a alteração da política americana em relação ao Japão:


a) A ascensão de Nikita Kruchev na URSS e a invasão da Hungria pelos soviéticos.
b) O advento da guerra fria e a Revolução Socialista Chinesa.
c) O macartismo e o arrependimento por ter lançado as bombas atômicas no período da 2ª guerra mundial.
d) O surgimento da Cortina de Ferro e o conflito entre ditadores Tito-Stalin.
e) Os conflitos da Coréia e do Vietnã.


3. (PUCCD) Entre as guerras resultantes da política bipolarização das duas grandes potências EUA e URSS, pode-se citar a que envolve:

a) católicos e protestantes.
b) sul-africanos e ingleses.
c) cubanos e soviéticos.
d) estadosunidenses e vietnamitas
e) soviéticos e judeus.


4- Durante o período da Guerra Fria as superpotências EUA e URSS adotavam estratégias a fim de atraírem países para seu círculo de influência. Entre as estratégias adotadas estava a criação de organismos e programas de ajuda que rivalizam entre si no papel que cada um desempenhava. Em relação à área econômica e militar marque a alternativa abaixo que corresponde aos exemplos corretos de programas de ajuda e organismos criados durante a Guerra Fria.


a) Na área econômica o Plano Marshall e o Comecon. Na área militar a OTAN e o Pacto de Varsóvia.
b) Na área econômica o FMI e o Plano Qüinqüenal. Na área militar a NASA e o Pacto de Varsóvia.
c) Na área econômica o Plano Marshall e o FMI. Na área militar a ONU e o Pacto de Varsóvia.
d) Na área econômica o Macartismo e a ALCA. Na área militar a OTAN e o Pacto de não agressão.


5- A Guerra Fria provocou a bipolarização ideológica da civilização durante boa parte do século XX. Apesar da influência maior concentrar-se no campo ideológico, outras áreas como o esporte e a aeroespacial sofreram interferência da Guerra Fria e serviram de cenário para as superpotências destilarem suas vaidades diante do mundo. Contudo foi no campo político e militar que indiretamente EUA e URSS confrontaram-se perigosamente em diversos momentos. Assinale a única alternativa que corresponde a seqüência correta relacionada aos conflitos indiretos entre EUA e URSS.


( )Revolução Cubana ( )Golpe Militar de 64 no Brasil ( )Guerra do Vietnã ( )Guerra do Golfo ( )Guerra da Coréia.

a) VVVVF.         b)VFVFV.          c) VVVVV.           d)FFFFV.          e)VVVFV.


Respostas: 1-E; 2-B; 3-D; 4-A; 5-E.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Exercícios - 2ª Guerra Mundial


Teste seu conhecimento sobre o assunto!!

1. (UNITAUC) O fato concreto que desencadeou a Segunda Guerra Mundial foi:  
a) a saída dos invasores alemães do território dos Sudetos, na Checoslováquia;
b) a tomada do "Corredor Polonês" que desembocava na cidade-livre de Dantzig (atual Gdanki), pelos italianos;
c) a invasão da Polônia por tropas nazistas e a ação da Inglaterra e da França declarando guerra ao Terceiro Reich;
d) a efetivação do "Anschluss", que desmembrou a Áustria da Alemanha;
e) a invasão da Polônia por tropas alemãs, quebrando o Pacto Germano-Soviético.

2. (FUVESTA) "Esta guerra, de fato, é uma continuação da anterior." (Winston Churchill, em discurso feito no Parlamento em 21 de agosto de 1941). A afirmativa acima confirma a continuidade latente de problemas não solucionados na Primeira Guerra Mundial, que contribuíram para alimentar antagonismos e levaram à eclosão da Segunda Guerra Mundial. Entre esses problemas, identificamos:
a) o crescente nacionalismo e o aumento da disputa por mercados consumidores e por áreas de investimentos;
b) o desenvolvimento do imperialismo chinês da Ásia, com abertura para o Ocidente;
c) os antagonismos austro-ingleses em torno da questão da Alsácia-Lorena;    
d) a oposição ideológica que fragilizou os vínculos entre os países, enfraquecendo todo tipo de nacionalismo;
e) a divisão da Alemanha, que a levou a uma política agressiva de expansão marítima.


3. (UFPED) Em torno de fatos relacionados com a Segunda Guerra Mundial, estabeleça a correspondência:
1. Blitzkrieg                             (     ) Guerra relâmpago.
2. Kamikaze                            (     ) Cidade arrasada pela bomba atômica.
3. Os países da Aliança           (     ) Piloto suicida utilizado pela aviação japonesa.
4. As nações do Eixo              (     ) Inglaterra, França, União Soviética e Estados Unidos.
5. Nagasaki                             (     ) Japão, Itália e Alemanha.


a) 2, 3, 5, 4 e 1
b) 1, 2, 5, 4 e 3
c) 1, 5, 2, 4 e 3
d) 1, 5, 2, 3 e 4
e) 4, 5, 2, 3 e 1
 

4. (UFRNA) Em relação à Segunda Guerra Mundial, é correto afirmar que:  
a) Hitler empreendeu implacável perseguição aos judeus, o Holocausto, que resultou na morte de seis milhões de pessoas;
b) os norte-americanos permaneceram neutros na guerra até 1941, quando bombardearam Hiroshima e  Nagasaki;
c) Charles de Gaulle, líder da resistência francesa, foi o chefe do governo de Vichy ;
d) com o ataque alemão a base de Pearl Harbor, os norte-americanos resolveram entrar na guerra;
e) a Crise de 1929 nada teve a ver com a Segunda Guerra Mundial.


5. (UEMTC) A Segunda Grande Guerra (1939-1945) adquiriu caráter mais abrangente tanto em relação a área do conflito quanto a participação de poderosos países a partir de dezembro de 1941, quando:  
a) os russos tomaram a iniciativa de anexar os Estados Bálticos;
b) os alemães invadiram o litoral mediterrâneo da África;
c) os japoneses atacaram a base norte-americana de Pearl Harbor;
d) os franceses, por determinação do marechal Pétain, ocuparam o Sudeste da Ásia;
e) os chineses cederam a maior parte de seu território às tropas do Eixo.


6. Os Estados Unidos iniciaram sua participação na Segunda Guerra Mundial motivados pelo(a):  
a) invasão da China pelo exército do Japão;
b) política de implantação do Plano Marshall, que favorecia a industrialização do país;
c) afundamento pelos japoneses, no Oceano Pacífico, de navios de países aliados, como o Brasil;
d) ataque japonês à base naval americana de Pearl Harbor;
e) apoio dado pela ONU aos países latino-americanos participantes do conflito.


7. Assinale a alternativa errada no contexto da Segunda Guerra Mundial: 
a) A anexação da Albânia pelas tropas fascistas italianas.
b) A invasão, pelos japoneses, de regiões chinesas de grande importância econômica.
c) A vitória alemã na batalha de Stalingrado, que consolidou a hegemonia alemã.
d) A anexação da região dos Sudetos, na Tchecoslováquia, pelos alemães.
e) A crise do Corredor Polonês, que culminou com a invasão da Polônia por tropas nazistas.


8-O Totalitarismo Nazifascista na Europa instalou-se sob permissão complacente de Inglaterra e França, devido a(o):
(    ) O estabelecimento de governos totalitários era uma garantia de paz entre os países.
(    ) O socialismo era uma terrível ameaça aos interesses de banqueiros e industriais capitalistas.
(    ) Grande parte da classe dominante que visando seus interesses econômicos apóia as ditaduras em favor da ordem social
(    ) Os regimes totalitários não tinham uma doutrina clara, portanto facilmente flexíveis aos interesses da França.
(    ) A ascensão econômica mundial dos EUA dependia do apoio de regimes totalitários como o Nazismo e o Fascismo.
Assinale a sequência correta das afirmativas acima:
(A) V_V_F_V_V        (B) F_V_V_F_F          (C) F_F_F_V_F       (D) V_V_V_V_V          (E) F_F_F_F_F



9- Ainda entre os historiadores não esgotou o debate sobre o motivo pelo qual uma nação formada por pessoas com boa formação cultural escolheu o regime Nazista como forma de governo. A este respeito podemos afirmar que os alemães apostaram no Nazismo devido:
(     ) Votaram nas propostas nazistas por descrédito nas democracias.
(     ) A fantástica máquina de propaganda nazista com seu aparato cenográfico e discursos teatrais fabricavam massas de fanáticos seguidores.
(     ) Unicamente pelo carisma de Hitler que sozinho contabilizava o sucesso da propaganda nazista.
(     ) O desejo de vingança pela derrota na primeira guerra mundial foi viabilizado como possível pela população pelas realizações do governo nazista.
      
Assinale a sequência correta das afirmativas acima:
(A) V_V_F_V                (B) F_V_V_F                (C) F_F_F_V            (D) V_V_V_V              (E) F_F_F_F



10-Observe a evolução do partido nazista.  Em 1928 obtiveram 2% dos votos; em 1930 foram 15%; em 1932 foram 31%. Podemos apontar entre os motivos  que ajudaram a ascensão meteórica do Partido Nacional Socialismo (NAZI) só pode ser explicada devido principalmente:


a) A desconfiança dos alemães nas popostas do socialismo utópico para reerguer a Alemanha.

b) Ao medo dos grupos capitalistas face ao avanço do "perigo vermelho" e o aumento da luta de classes.
c) A tradição alemã em acreditar que governos fortes e autoritários são a solução final para o país erguer-se.
d) A alta qualidade dos intectuais, políticos e militares que compunham os quadros do partido nazista.
e) crença da pureza e da escolha do povo alemão eleito por Deus para governar o mundo. 








Respostas: 1-c,2-a,3-d,4-a,5-c,6-d,7-c,8-b,9-a,10-b.

terça-feira, 8 de junho de 2010

O pai dos pobres o mito de Vargas


Texto de João Paulo Mesquita Hidalgo Ferreira e Luiz Estevam de Oliveira Fernandes.

Experimente fazer uma breve pesquisa com pessoas com mais de 60 anos perguntando a elas sobre Getúlio Vargas. Muito provavelmente grande parte dos entrevistados irá responder que Getúlio foi o melhor presidente do Brasil, símbolo de defesa dos mais humildes e do nacionalismo brasileiro ou algo neste sentido. E você, então, pode parar para se questionar: como um presidente que chegou ao poder por de um golpe de Estado, que comandou o país durante um bom tempo através de uma ditadura, que se aproximou tanto do nazismo quanto do fascismo, que fez um sem-número de pessoas como prisioneiros políticos, torturando-os e até mesmo matando-os, pode ser tão considerado assim? A resposta mais contundente para isso é que Vargas é um mito na história do Brasil. E, como todos os mitos que são formados, a opinião pública esquece os problemas e vangloria os feitos.

height=325O mito em torno da figura do “pai dos pobres” não surgiu do nada. Como outros, sua mitificação foi uma criação fomentada principalmente pelas propagandas idealizadas no poder autoritário e centralizador do Estado Novo. Durante a ditadura de Vargas, uma enorme engrenagem de censura contra a oposição e propaganda de seus feitos foi criada. Instaurado em 1939, o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), órgão que controlava os meios de comunicação e as artes, promovia a imagem do “pai dos pobres” mostrando em escolas e cinemas filmes sobre a vida de Getúlio e suas obras. Com o estabelecimento da Hora do Brasil, programa de rádio transmitido todos os dias entre 19 e 20 horas, o governo pôde entrar nas casas da população em horário nobre, fazendo propaganda de seus feitos e estabelecendo um vínculo direto entre Getúlio e o cidadão. Feriados nacionais como o Dia do Trabalho, o Dia da Independência e até mesmo o aniversário do presidente (19 de abril) eram utilizados para Vargas entrar em contato direto com as massas, particularmente em gigantescos comícios realizados em estádios de futebol abarrotados. Nessas ocasiões ocorriam desfiles de jovens e crianças que, treinados como robôs, demonstravam o nacionalismo e o apreço pela figura do presidente empunhando retratos de Getúlio. Assim como nas festividades nazistas, a estética das apresentações evocava o patriotismo do povo.


Cartões-postais criados pelo DIP exaltando os feitos do governo Vargas


height=200
Cartilhas de alfabetização, escritas pelo próprio Getúlio, eram obrigatórias na educação das crianças. Livros infantis que contavam a trajetória pessoal de Getúlio, mostrando-o como um homem de sentimentos nobres, defensor dos pobres e dos humildes, que estava acima de tudo e de todos, ajudavam na criação da imagem popular sobre Vargas. Epicamente, estes livros relacionavam Vargas à defesa do próprio país, enfatizando que mesmo sua ditadura era benéfica para o povo e que seus opositores eram, na verdade, inimigos do Brasil. Nas repartições públicas, muitas vezes a foto do presidente se
sobrepunha à própria bandeira da nação.


Detalhe da capa da cartilha de alfabetização com a imagem de Vargas



Obviamente, o engajamento da propaganda oficial acabaria refletindo na cultura popular. Cuíca de Santo Amaro, poeta da literatura de cordel, tinha como título de uma de suas poesias “Deus no céu e Getúlio na terra” Nessa época, por exemplo, inúmeras canções foram escritas exaltando a figura de Vargas. Uma das marchinhas da época, enaltecendo o presidente, afirmava “ele tinha nas suas iniciais o G que representa a glória e o V que significa vitória...”
Sua conhecida carta-testamento serviria ainda mais para enfatizar no imaginário popular a imagem de Getúlio Vargas como um pai protetor, como um símbolo da defesa dos trabalhadores e da luta contra o domínio estrangeiro no país.

Questões - Era Vargas

 Era Vargas - Exercícios resolvidos

01. (FUVEST) O Brasil sofreu de forma relativamente forte os efeitos da Crise de 1929 porque:
      a) o governo de Getúlio Vargas promoveu medidas de incentivo econômico, com empréstimos obtidos no Exterior;
      b) o País, não tendo uma economia capitalista desenvolvida, ficou menos sujeito aos efeitos da crise;
      c) houve redução do consumo de bens e, com isso foi possível equilibrar as finanças públicas;
      d) acordos internacionais, fixando um preço mínimo para o café, facilitaram a retomada da economia;
      e) a base da economia eram as exportações de produtos agrícolas, principalmente o café, sem grande valor agregado.

02. (FUVEST) A política cultural do Estado Novo com relação aos intelectuais caracterizou-se:

      a) pela repressão indiscriminada, por serem os intelectuais considerados adversários de regimes ditatoriais;
      b) por um clima de ampla liberdade pois o governo cortejava os intelectuais para obter apoio ao seu projeto nacional;
      c) pela indiferença, pois os intelectuais não tinham expressão e o governo se baseava nas forças militares;
      d) pelo desinteresse com relação aos intelectuais, pois o governo se apoiava nos trabalhadores sindicalizados;
      e ) por uma política seletiva através da qual só os adversários frontais do regime foram reprimidos.

03. De uma forma geral as fases da Era Vargas (1930 - 1945) apresentou:

      a) O abandono definitivo da política de proteção ao café.
      b) A crescente centralização político-administrativa .
      c) Um respeito aos princípios democráticos, em toda sua duração.
      d) Um leve "surto industrial", resultante da conjuntura da Grande Guerra (1914 - 1918).
      e) Um caráter extremamente ditatorial, em todas as suas três fases.

04. A Europa dos anos 30 conheceu os extremismos resultantes do confronto ideológico entre os totalitarismos de esquerda e
de direita. Eram representantes de direita (nazi-fascismo), no Brasil no período do Governo Constitucional da Era Vargas?

      a) os aliancistas, reunidos em torno da Aliança Nacional Libertadora;
      b) os "camisas-verdes" liderados por Luís Carlos Prestes;
      c) os tenentes, que após a Revolução de 1930, tornaram-se defensores do Estado Fascista;
      d) os integralistas, sob a liderança de Plínio Salgado, sonhavam com um Estado Totalitário;
      e) os getulistas, adeptos de um Estado Forte, sob a liderança de Vargas.


05. Recuperação da autonomia, reconstitucionalização do País e nomeação de um interventor civil e paulista foram
reivindicações que marcaram qual fato histórico da Era Vargas:

      a) o movimento tenentista da década de 1920;
      b) a reação da oligarquia paulista na Revolução de 1932;
      c) as manifestações integralistas nos anos 30;
      d) as intentonas comunistas de 1935;
      e) as rebeliões promovidas pela ANL entre 1934 e 1937.


06. (FGV) "Redescobrir e revolucionar é também o lema do Verde-Amarelismo, que, antes de organizar-se no movimento Anta
(Cassiano Ricardo, Menotti del Picchia, Plínio Salgado) e materializar-se no ideário 'curupira', passa pela xenofobia
espingardeira da Revista Brasília."
O texto acima fala de um movimento literário do Brasil dos anos 30, que tem correspondência político-ideológica com:

      a) o Integralismo
      b) o Marxismo-lenilismo
      c) o Anarco-sindicalismo
      d) o Socialismo Utópico
      e) a Maçonaria


07. (UFRJ) A expressão Estado Novo foi empregada para identificar um fato histórico a partir do momento em que:

a) entrou em vigor a terceira Constituição brasileira, a de 1934;
b) foram reunidos num só os Estados do Rio de Janeiro e da Guanabara;
c) Getúlio Vargas outorgou ao País a Carta de 1937, que lhe conferia plenos poderes;
d) assumiu a Presidência da república, Jânio Quadros;
e) assumiu a Presidência da República, João Goulart.


08. (MACKENZIE) Sobre o Estado Novo, é falso afirmar que:

 a) DIP, DASP e Polícia Secreta constituíram órgãos de repressão e de sustentação do regime;
 b) a centralização política e a indefinição ideológica identificaram esta fase;
 c) a legislação trabalhista garantia o direito de greve e autonomia sindical. O Estado afasta-se da  relação capital e trabalho;
 d) o crescimento industrial se fez em parte graças à concentração de renda, baixos salários e desemprego;
 e) as oligarquias apoiavam o governo já que este garantia a grande propriedade e não estendia às leis trabalhistas ao campo.

09. Durante a vigência do Estado Novo (1937-1945), destaca-se a implantação da legislação trabalhista. Foram medidas do governo Getúlio Vargas, EXCETO:
a) A redução da jornada de trabalho.
b) A liberdade de organização sindical.
c) A remuneração de férias trabalhistas.
d) A regulamentação do trabalho feminino.
e) A criação dos institutos de aposentadoria. 

10. (FUVEST) O período entre as duas guerras mundiais (1919 - 1939), foi marcado por:

a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo;
b) sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre o fascismo e o comunismo;
c) estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os EUA e a URSS para deter o avanço fascista na Europa;
d) prosperidade das economias capitalista e socialista e aparecimento da guerra fria entre os EUA e a URSS;
e) a coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista.

11. Após a queda de Getúlio Vargas (29/10/1945) é eleito Eurico Gaspar Dutra e no primeiro ano de seu governo é concluída a:

a) Reforma Partidária;
b) Pacificação interna dos Estados;
c) Emenda Constitucional que consolida a Constituição de 1934;
d) Democratização do País;
e) Constituição, a quinta do Brasil e a quarta da República, em setembro de 1946.



RESPOSTAS: 1E: 2E: 3B: 4D: 5B: 6 A: 7C: 8C: 9B: 10A: 11E

terça-feira, 18 de maio de 2010

Respostas da Avaliação parcial

Prezados alunos, confiram as respostas da 1ª avaliação parcial da unidade.

1- Assinale a única alternativa correta. São características do Regime republicano no Brasil na Primeira República:

a) Federalismo, voto universal, os 3 poderes (executivo, legislativo e judiciário).
b) Federalismo, voto universal, criação do conselho de Estado e monarquia parlamentarista.
c) Federalismo, voto universal, eleições indiretas, abolição da escravidão.
d) Presidencialismo, Conselho de Estado, manutenção da escravidão.
e) Presidencialismo, voto censitário, eleições indiretas, abolição da escravidão.

2) "Em 1898, há de rebanhos mil correr da praia para o sertão; então o sertão virará praia e a praia virará sertão...Em 1899 ficarão as águas em sangue e o planeta há de aparecer no nascente com o raio de sol que o ramo se confrontará na terra e em algum lugar se confrontará no céu...Há de chover uma grande chuva de estrelas e aí será o fim do mundo. Em 1900 se apagarão as luzes. Deus disse no evangelho: eu tenho um rebanho que anda fora deste aprisco e é preciso que se reúnam porque há um só pastor e um só rebanho!" (apud CUNHA, Euclides, 1975, pág.132-3). A profecia acima refere-se a uma das mais importantes revoltas populares vivenciadas na história da República brasileira. Estamos nos referindo a:

A) Guerra de Canudos. B) Lampião e o cangaço. C) Revolta da Chibata. D) Guerra do Contestado. E) a Revolução Federalista

3) Em finais do século XIX e nas primeiras décadas da República, surgia no nordeste do país um movimento social conhecido por Cangaço. Vários fatores permitiram o aparecimento da figura do cangaceiro, EXCETO:

a) miséria e submissão da massa rural aos grandes latifundiários.
b) Acentuação da decadência econômica e terríveis secas que assolaram o sertão.
c) Crescimento da industrialização na região Sudeste, atraindo mão-de-obra das regiões rurais.
d) Desemprego e fome de milhares de trabalhadores destituídos de propriedades.
e) Revolta contra a ordem social injusta e agressiva e a busca de justiça pelas próprias mãos.

4- A respeito do coronelismo podemos afirmar que:

a) O coronel era o líder político do local cujo poder era medido pela quantidade de votos que controlava.
b) Através da intimidação e da troca de favores sobre o povo que o coronel praticava o voto de cabresto.
c) Constituía o poder local através do voto direto secreto e de maneira democrática.
d) A penas a alternativa “C” esta correta.
e) As alternativas “a” e “b” estão corretas.

5. Leia as afirmativas abaixo, que versam sobre o “Convênio de Taubaté”:

I. O processo de valorização artificial do café desencorajou a plantação de novas lavouras cafeeiras a partir daquela data.
II. O convênio fixava um preço mínimo a ser pago pela saca de café, caso o preço no mercado internacional fosse inferior.
III. Os recursos do governo para a compra do café ao preço mínimo seriam obtidos com empréstimos de capitais estrangeiros.
IV. O convênio pode ser visto como um sinal do domínio político da “República Velha” por Estados produtores de café.

Assinale a única alternativa que aponta somente as afirmativas corretas:
a) I e IV
b) II e IV
c) II, III e IV
d) I, II e III
e) IIl e IV

RESPOSTAS: 1-A/ 2-A/ 3-C/ 4-E/ 5-C

domingo, 9 de maio de 2010

Revolta da Vacina, Canudos e Favela

Qual a origem do termo Favela?

Em principio os três temas do título não parecem ter conexão com a pergunta, mas numa investigação histórica mais apurada encontramos o “elo perdido”.
Entre o final do século XIX e início do século XX, as autoridades higienistas preocupadas com os surtos epidêmicos que assolavam a capital federal do Brasil – Rio de Janeiro, apontavam para as péssimas condições sanitárias existentes nos cortiços e mocambos como o principal foco disseminador das doenças.
Por outro lado, as autoridades políticas sentiram-se pressionadas por integrantes da camada mais abastarda da sociedade que exigiam dos governantes ações eficazes para resolução das constantes epidemias que democraticamente também atingiam as elites.
O resultado desta conjunção de interesses científícos e políticos, ou seja, por um lado a justificativa científica dos médicos higienistas e por outro a pressão política das elites, descambou na contabilização da culpa pelas epidemias sobre os cortiços e mais precisamente sobre os hábitos repugnantes de seus habitantes: a camada pobre da população. Iniciava, assim a formatação de instrumentos legais para a política de extermínio dos cortiços e de expulsão das chamadas classes perigosas (pobres) da área central da cidade. Abrindo um precedente perigoso a políticos que apropriam-se de elementos de gestão científica aplicando-os à sociedade a fim de justificar atitudes impopulares no contexto de uma obscura intenção política. Esta engenharia social com bases científicas em determinado momento da História do século XX levaria o mundo a presenciar uma das maiores catástrofes - a Segunda Guerra Mundial -, mas em se tratando de Brasil, para nosso alívio, os fatos ocorridos aqui não chegariam a tamanha dimensão.
Imbuídos de uma notável “sensibilidade” a respeito do problema de saúde pública, começa uma verdadeira revolução urbana na capital do país. Demolição, despejo e violência policial sobre os moradores dos cortiços, as autoridades governamentais não mediriam esforços para colocar em prática a estratégia “política” de erradicação das epidemias mesmo que adotassem enérgicas medidas coercitivas.   
O exemplo ímpar deste tipo de medida foi a demolição do cortiço conhecido como Cabeça de Porco, um “valhacouto de desordeiros” na concepção das autoridades da época. O aparato montado para a expulsão dos moradores do local chamou a atenção tanto pela presença de várias autoridades no local como pela velocidade que foi executada a demolição do cortiço. No relato da imprensa da época a sanha destrutiva não comoveu-se diante do clamor das mulheres e do choro das crianças. Segundo um estudo de Lílian Vaz,  “num gesto magnânimo do prefeito do Rio de Janeiro - Barata Ribeiro, mandou facultar a gente pobre que habitava aquele recinto a tirada das madeiras que podiam ser aproveitadas em outras construções”. De posse deste material “generosamente” cedido pelo prefeito os moradores subiram o morro que existia nas proximidades e iniciaram a construção de pequenos casebres com os despojos da demolição dos cortiços. Poucos anos mais tarde, neste mesmo local, estabeleceram-se com a devida autorização dos chefes militares os soldados que combateram na campanha da Guerra de Canudos terminada em 1897. A localidade passou a ser conhecida como “Morro da Favela” em referência ao nome do acampamento dos soldados em Canudos. Favela é uma planta típica da caatinga nordestina. Com o passar dos tempos a comunidade do Morro da Favela cresceu e espalhou-se pelos morros da cidades outros assentamentos urbanos idênticos. Quando perguntavam aos moradores destas comunidades o local de sua moradia prontamente respondiam: "moro na favela."  
A Revolta da Vacina foi um movimento de caráter popular que aconteceu no Rio de Janeiro cujas raízes estão no processo da campanha de saúde pública realizada a força e a insatisfação da população pobre resultante do movimento chamado "Bota-abaixo" (derrubada de cortiços e casebres) desapropriando os moradores que sem opção deslocaram-se para os morros e bairros periféricos deixados de lado pela reforma urbanística. Sem se importar com a situação dos mais pobres, a imprensa da época alardeava o jargão: "O Rio civiliza-se".  Civiliza-se em relação ao que?